As melhores de Stravinsky

Posted by By at 6 October, at 00 : 47 AM Print

Tracklist:
A Sagração da Primavera
Primeira Parte: A Adoração da Terra
1. Introdução
2. Augúrios de Primavera /  Dança das Adolescentes
3. Jogo do Rapto
4. Rondas da Primavera
5. Jogos das Tribos Rivais
6. Procissão do Sábio
7. O Sábio
8. Dança da Terra

Segunda Parte: O Sacrifício
9. Introdução
10. Círculos Místicos das Adolescentes
11. Glorificação da Eleita
12. Evocação dos Ancestrais
13. Ação Ritual dos Ancestrais
14. Dança do Sacrifício. A Eleita

O Pássaro de Fogo (Suíte, 1945)
15. Introdução
16. Prelúdio e Dança
17. Variações
18. Pantomima I
19. Pas-De-Deux
20. Pantomima II
21. Scherzo
22. Pantomima III. Rondó
23. Dança Infernal
24. Canção de Ninar
25. Hino Final

Biografia e obras
 
Ígor Fiódorovitch Stravinski (em russo: И́горь Фёдорович Страви́нский; Oranienbaum, 17 de Junho de 1882 – Nova Iorque, 6 de Abril de 1971) foi um compositor, pianista e maestro russo, considerado por muitos um dos compositores mais importantes e influentes do século XX. Foi o arquétipo do russo cosmopolita, escolhido pela revista Time como uma das 100 pessoas mais influentes do século. Além do reconhecimento que obteve pelas suas composições, ficou ainda famoso como pianista e maestro, estando nessa condição muitas vezes na estreias das suas obras.
A carreira de compositor de Stravinski foi notável pela sua diversidade estilística. Inicialmente adquiriu fama internacional com três ballets encomendados pelo empresário Sergei Diaghilev e executados pelos Ballets Russes de Diaghilev: L’Oiseau de feu (“O Pássaro de Fogo”) (1910),Petrushka (1911/1947), e Le Sacre du printemps (“A Sagração da Primavera”) (1913). A Sagração, cuja estreia provocou um motim, transformou o modo de pensamento dos compositores posteriores acerca da estrutura rítmica, e foi largamente responsável pela reputação duradoura de Stravinski enquanto revolucionário musical, forçando as fronteiras do design musical.
Após esta fase inicial russa, Stravinski virou-se para o neoclassicismo na década de 1920. As obras deste período tendem a utilizar as formas musicais tradicionais (concerto grosso, fuga, sinfonia), frequentemente disfarçadas com um veio de emoção intensa sob uma aparência superficial de distanciamento ou austeridade, muitas vezes prestando tributo à música de mestres anteriores, como J. S. Bach e Tchaikovsky.
Nos anos 1950 adoptou os procedimentos do serialismo, utilizando as novas técnicas ao longo dos seus últimos vinte anos. As composições de Stravinski deste período têm pontos em comum com toda a sua produção anterior: energia rítmica, a construção de ideias melódicas desenvolvidas a partir de algumas células de duas ou três notas, e clareza de forma, instrumentação e expressão vocal.
Também publicou vários livros ao longo de sua carreira, quase sempre com a ajuda de um colaborador, por vezes não nomeado. Na sua autobiografia de 1936, Chronicles of My Life, escrita com a ajuda de Walter Nouvel, Stravinski incluiu a sua famosa declaração de que a “música é, pela sua própria natureza, essencialmente impotente para expressar seja o que for.” Com Alexis Roland-Manuel e Pierre Souvtchinsky escreveu as suas Charles Eliot Norton Lectures (Harvard University,1939–40 ), que foram feitas em francês e mais tarde coligidas sob o título Poétique musicale em 1942 (traduzidas para o inglês em 1947 como Poetics of Music).Muitas entrevistas nas quais o compositor conversou com Robert Craft foram publicadas como Conversations with Igor Stravinsky. Colaboraram ainda em mais cinco volumes adicionais durante a década seguinte.

Ígor Stravinsky, Posts - Portuguese , , , , ,

Related Posts

Post Your Comment